Ligue agora via WhatsApp
Moeda
positiva
Texto: Sylvia Skornicki 17/05/2019 0 Comment.

Psicologia Positiva: É a Pílula da Felicidade?

Na Psicologia, surge um “novo” paradigma, ou seja, uma mudança de perspectiva do negativo para o positivo.

A Psicologia Positiva aborda traços positivos da personalidade de cada indivíduo, com o objetivo de focar no bem-estar e resiliência. É uma ciência baseada em evidências, fazendo intervenções que promovam qualidade de vida. Constitui-se de um movimento que tenta romper o viés negativo sobre o desenvolvimento humano, através de estudos dos aspectos positivos, como virtudes, potenciais e valores.
O olhar passa a ser na força e não em suas fraquezas, construindo e solidificando o que de melhor a vida oferece, ao invés de “reparar” no pior, trazendo assim muito mais que a esperança e a certeza de promover nos indivíduos uma vida mais proveitosa.

Os Psicólogos com formação em psicologia positiva adotam uma postura de apreciar mais os potenciais, as motivações, as virtudes e as capacidades de cada indivíduo, procurando transformar antigas questões em novas oportunidades de compreender o evento ocorrido com otimismo, altruísmo, esperança, alegria, satisfação e outras tão importantes habilidades para investigarmos a depressão, ansiedade, angustia e agressividade, realizando assim os tratamentos para suas questões.

A psicologia Positiva acredita e trabalha na prevenção de doenças, o que chamamos de prevenção primária. Ajudar pessoas antes que os problemas se instalem, ou no caso de alguma doença já instalada, intervir antes que possam piorar, sendo esta chamada de prevenção secundária. Trabalhando com aspectos saudáveis do ser humano, em oposição à psicologia tradicional que foca nos aspectos psicopatológicos.

Martin Selligman, o mentor da psicologia Positiva, enfatiza a importância de ensinarmos a resiliência, a esperança, o otimismo para nos tornarmos mais resistentes a depressão e a sermos capazes de levarmos uma vida mais feliz e produtiva.

Selligman propõe que a conquista da felicidade seja um exercício diário, feito com gentileza, originalidade, humor, otimismo e generosidade. Ele tentou compreender através de pesquisas o que faz alguém feliz. E descobriu que pessoas felizes, satisfeitas, possuem uma vida social mais produtiva. Os mais felizes fazem mais amigos, passam pouco tempo sozinhos e mantém relacionamentos.

Através destas pesquisas ele percebeu algumas coisas em comum entre estas pessoas, são essas:

Estado positivo de bem-estar (Satisfação com a vida, otimismo), traços individuais positivos (criatividade, coragem, compaixão, integridade, sabedoria, autocontrole) e instituições positivas (famílias saudáveis, escola, ambiente de trabalho).

Sendo assim, podemos entender que a psicologia positiva esta longe de ser a tão sonhada pílula da felicidade, mas que trabalha duro para trazer bem estar, qualidade de vida, estimulando nos indivíduos emoções positivas, autoconhecimento de seus potenciais, virtudes e valores para que possamos trabalhar sempre na prevenção de um transtorno e, caso isso não seja possível, por já ter um transtorno instalado, que possamos intervir para trazer um novo olhar sobre o mesmo, estando sempre atento a qualidade de vida e o bem estar do individuo.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ir para o topo
X